AVISO: na semana de 17 a 21 de junho não serão feitos envios. Retomamos o funcionamento normal no dia 24 de junho!
0
Carrinho de compras
Não existem produtos no carrinho de compras.
Cartão de Crédito Multibanco MB WAY Carteira digital Transferência Bancária
0

Calçado respeitador, o que é?

O sapato cabe no pé, não o pé no sapato.

O calçado respeitador, também conhecido como barefoot, é um calçado que protege os pés sem interferir com os seus movimentos naturais e desenvolvimento fisiológico no caso das crianças. Como o nome barefoot indica, é como se andassem descalças, mantendo todos os benefícios associados, mas sem o risco de se magoarem. 

Características do calçado respeitador

Sola

Fina: cerca de 3 mm até aos 4 anos para permitir o desenvolvimento normal dos seus pés. Pode aumentar (8 mm) para os mais velhos ; 

Flexível: deve ser possível dobrá-la na zona dos metatarsianos. Na aquisição de marcha deve  ser possível de torcer para permitir o movimento de todas as articulações e não atrapalhar movimentos;

Dura: Não devem ser almofadadas (existem excepções como a prática de atividades específicas);

Sem declive (0 Drop): sem diferenças de altura em toda a sua extensão, por forma a não modificar a aplicação do peso e centro de gravidade da criança.

Contraforte

Flexível e praticamente inexistente para que a criança ganhe força no tornozelo de forma natural durante a evolução da marcha, sem estabilizadores laterais que proporcionam um equilíbrio externo falso.

Sistema de ajuste

Essencial para que o sapato se adapte ao pé sem provocar incómodo ou magoar, podendo ser atacadores ou velcros, de acordo com a idade da criança e a promoção da sua autonomia.

Palmilha

Sem elementos anatómicos: Um pé saudável não necessita de elementos com relevo na palmilha que interfira no natural desenvolvimento da ponte do pé.

De preferência extraível, por facilitar a sua limpeza e detetar se o sapato ainda serve à criança, ao poder visualizar diretamente o comprimento do pé sobre a palmilha.

PRIMEIROS PASSOS E AQUISIÇÃO DE MARCHA

Uma criança que acaba de se meter de pé, que se equilibra sozinha e dá os seus primeiros 10 passos, não deveria colocar nenhum tipo de calçado, se isso for possível.

Nos primeiros 6 meses a caminhar, a criança pode ser calçada com meias antiderrapantes ou sapatos com características específicas, se assim for necessário. 

Após esta etapa, entra na fase de aquisição de marcha, que ocorre até cerca dos 4 anos de idade. Daqui em diante começa a maturação da marcha que se pode considerar estabelecida.

É de salientar que cada criança é uma criança diferente e cada uma terá o seu desenvolvimento.

Não dispensa a consulta de um médico especialista, principalmente em casos de patologia.

Qual a grande diferença entre o calçado para primeiros passos e aquisição de marcha? 

Ambos cumprem com os critérios do calçado respeitador, protegendo os pés dos mais pequenos dos solos muito frios/quentes e dos seus potenciais perigos físicos e químicos, sem interferir de forma alguma na marcha. Dependendo das marcas podem ser bastante semelhantes, apresentando a maior diferença na sola. O uso de sapatos para primeiros passos por crianças em aquisição de marcha poderá levar ao seu desgaste mais rapidamente.

Como é o calçado para os primeiros passos?

A sola é muito fina e flexível, quase como uma meia. Em algumas marcas a palmilha não é extraível por forma adquirir maior sensação de andar descalço e é possível “enrolar” o calçado sobre si mesmo. Relativamente ao tato, grossura e flexibilidade, quase não se distingue a sola do resto do sapato.

Como é o calçado de aquisição de marcha?

A sola é um pouco mais grossa que a do calçado de primeiros passos, com cerca de 3-4 mm, mas muito flexível. Na maioria das marcas a palmilha costuma ser extraível e podemos observar detalhes que promovem a proteção do calçado de brincadeiras mais ativas, como biqueiras protegidas.